Leonardo da Vinci, Albert Einstein, Ludwig van Beethoven, Jane Austen… O que esses nomes têm em comum, além de serem alguns dos maiores gênios da humanidade?

Cada um deles é reconhecido em seu campo de conhecimento, o que nos ajuda a entender como funcionam as inteligências múltiplas, algo que precisa ser considerado na educação como um todo.

Neste artigo, falaremos mais sobre o assunto, além de explicarmos como desenvolver competências e habilidades. Também ressaltamos que as diferenças, nesse contexto, são normais e contribuem para uma sociedade mais diversa. Confira!

 

O que são inteligências múltiplas e como elas se relacionam?

Foi em 1980 que, pela primeira vez, o mundo ouviu falar sobre inteligências múltiplas. O responsável por criar a teoria ligada ao assunto foi o cientista norte-americano Howard Gardner.

Por ser ligado ao campo da psicologia e neurologia, o estudioso pesquisou as descobertas de Jean Piaget e, junto do seu conhecimento sobre música e artes, supôs que as noções a respeito das aptidões intelectuais humanas eram consideradas parciais e insuficientes.

Gardner identificou que a metodologia para determinar a inteligência humana pelo QI era restrita e usou como base o conhecimento de que a genialidade é mais específica que generalista. E o que isso significa? As pessoas podem ter competências em diferentes áreas.

Logo, podemos dizer que as inteligências múltiplas são constituídas por habilidades que compreendem diferentes campos do conhecimento. Sendo assim, elas se dividem em 8 tipos, os quais explicaremos melhor a seguir.

Mas como elas se relacionam? Embora as capacidades sejam independentes, elas raramente funcionam de maneira isolada. Além disso, o seu desenvolvimento depende da educação recebida e das oportunidades encontradas.

Assim, o indivíduo tem potencial para diversos talentos. A ideia das inteligências múltiplas é justamente levar em consideração as diversas possibilidades e trabalhá-las desde a infância.

 

Quais são as inteligências múltiplas?

Como foi dito, as inteligências múltiplas podem ser divididas em 8, segundo Howard Gardner. Elas se apresentam como:

Linguística

A inteligência linguística se refere à capacidade oral e de expressão do ser humano, tendo como base a escrita, mas também os próprios gestos. Ela também abrange as diferentes formas de análise e interpretação de ideias e informações.

Portanto, as pessoas que têm tal inteligência costumam ser bons comunicadores e oradores, tendo facilidade no aprendizado, por exemplo, de outros idiomas. Afinal, seu processo de aprendizagem está intimamente ligado à linguagem e às palavras.

Lógico-matemática

Por sua vez, temos a inteligência lógico-matemática voltada a conclusões embasadas na razão. Sendo assim, está ligada à capacidade de resolução de equações e provas.

Sua base está calcada no pensamento lógico, nos cálculos, detecção de padrões e resolução de problemas. Há uma forte ligação com os números. Por um longo tempo, esse foi o principal modelo usado na medição de inteligência de uma pessoa, por meio do teste QI.

Espacial-visual

As pessoas com inteligência espacial-visual têm como principal característica a criatividade e habilidades ligadas às artes visuais. Essa inteligência tem forte ligação com a capacidade de elaboração de espaços complexos dentro da mente e manipulação de perspectiva.

O interessante é que a pessoa consegue vislumbrar visualmente seus projetos, antes mesmo de colocá-los no papel, permitindo que elas compreendam melhor as informações gráficas.

Corporal-cinestésica

No campo corporal-cinestésico, a habilidade está relacionada à capacidade motora das pessoas, com destaque para atividades atléticas. Nesse contexto, o corpo é a ferramenta para expressar sentimentos.

O controle dos movimentos, equilíbrio, coordenação e expressão por meio do corpo são os principais atributos de quem tem esse tipo de inteligência. Nesse caso, a facilidade de aprendizado está ligada à experiência física, ao movimento, às sensações e também aos toques.

Interpessoal

A inteligência interpessoal está ligada à facilidade de interpretação de expressões, mesmo aquelas mais sutis. As pessoas que têm essa habilidade mais desenvolvidas são capazes de reconhecer e entender os sentimentos, as motivações e as intenções do outro.

Dessa maneira, ela está bastante próxima à capacidade de relacionamento com diversos tipos de pessoas, mesmo em momentos delicados. O seu aprendizado está ligado ao contato humano, trabalho em grupo e comunicação.

Intrapessoal

A inteligência intrapessoal se refere a um nível de autoconhecimento alto. Assim, pessoas com essa habilidade compreendem mesmo as suas emoções mais enraizadas no seu íntimo, bem como têm clareza sobre os seus valores, ideais e motivações.

Um dos segredos desse tipo de inteligência é que ele é um diferencial para a ampliação de outras capacidades. Por meio dela, o indivíduo consegue focar em atividades nas quais tem maior domínio, sem deixar de lado os seus pontos de melhoria.

Naturalística

A princípio, tal inteligência não estava presente no estudo de Gardner, mas ele optou por incluí-la por se tratar de algo essencial para o futuro da humanidade e do planeta.

Tal inteligência está ligada às habilidades humanas relacionadas à vida e à natureza. As pessoas que têm essa característica forte têm facilidade para identificar animais, plantas e os benefícios proporcionados por eles. Nesse contexto, há uma forte ligação entre o indivíduo e o meio ambiente.

Musical

A inteligência musical é considerada a de mais fácil identificação. Ela está relacionada à sensibilidade da pessoa em reconhecer notas musicais, independentemente de onde elas venham.

Por isso, os indivíduos com essa inteligência conseguem reproduzir, mas também criar melodias. Assim, reconhecem padrões tonais e ritmos facilmente.

 

Como as inteligências múltiplas podem ser desenvolvidas em crianças?

A teoria das inteligências múltiplas rompem com o conceito antigo de que a capacidade de uma pessoa poderia ser medida apenas por meio do teste de QI, que ficava restrito ao raciocínio lógico.

O fato é que existem diversos tipos de inteligência, que podem ser desenvolvidos. A seguir, mostraremos algumas maneiras de fazer com que as crianças aprendam diferentes habilidades!

Trabalhe o raciocínio lógico

Uma das maneiras de potencializar o conhecimento lógico é trabalhar com o desenvolvimento de atividades estratégicas e soluções para problemas. O aprendizado de programação, por exemplo, é algo que trabalha com o raciocínio matemático-lógico.

Para exercitar esse tipo de inteligência, a criança terá que operar problemas e desafios até chegar a um resultado correto. Portanto, é interessante introduzir esse tipo de conhecimento ainda em seus primeiros anos, para que o aprendizado seja aperfeiçoado ao longo do tempo.

Use a leitura

A leitura ajuda no desenvolvimento da linguagem, mas também estimula a criatividade e empatia. Ao ler, a criança aprimora as suas capacidades linguísticas, mas também musicais, pois ela estará exposta a sons e expressões dos personagens.

Dependendo das atividades relacionadas à leitura, como a interpretação dos escritos, é possível também aprimorar a inteligência corporal, auxiliando, assim, a criança a exercitar aspectos múltiplos de conhecimento.

Aplique a tecnologia corretamente

A tecnologia, quando bem utilizada, pode trazer o aprimoramento de diferentes habilidades. Hoje, existem jogos e atividades que permitem desenvolver competências visuais, mas também lógicas, linguísticas e musicais.

Portanto, o ideal é que a criança seja exposta a tais atividades e acompanhada por adultos, que saberão identificar o que, de fato, é saudável e favorável ao seu enriquecimento intelectual.

De modo geral, tais ações devem ser trabalhadas em grupos para o desenvolvimento da inteligência interpessoal. Quando as crianças são codependentes de colegas, torna-se mais fácil criar empatia pelo outro e entender as ações de cada um.

Ao trabalhar as inteligências múltiplas, a criança não só passa a conhecer melhor o mundo, mas também a ter mais facilidade nos processos de assimilação das matérias tradicionais, favorecendo a educação como um todo.

Não só as informações são assimiladas com mais facilidade, mas as crianças também passam a ter maior capacidade crítica e a se autoconhecer, sabendo quais pontos precisam ser melhorados.

Se você quer saber mais sobre o assunto e reconhecer melhor as suas habilidades, baixe o nosso e-book sobre tipos de inteligência. Até a próxima!