Como ensinar seu filho a lidar com a frustração? A resposta passa por permitir desde cedo que os pequenos aprendam que não podem simplesmente ter tudo quando desejam, sendo que esse desenvolvimento de competências e habilidades pode ocorrer de diferentes maneiras ao longo da vida.

Até os dois anos de idade, fica difícil distinguir se o choro do bebê é por conta de fome, cólica, birra ou dengo. Mas logo depois dessa idade as crianças demonstram mais reações, e as frustrações podem ocorrer devido a situações comuns dentro de casa ou escola.

Isso inclui, por exemplo, não poder passar horas assistindo a desenhos, porque os pais querem assistir ao jornal. Na escola, perder jogos ou precisar dividir brinquedos com outras crianças podem deixar seus filhos desapontados.

A partir de 12 ou 13 anos, é comum lidar frustrações amorosas ou desempenhos insatisfatórios em provas escolares. Como os pais podem agir em todos esses momentos? Veja as nossas dicas a seguir!

 

Segurança e conforto: por que os pais devem ajudar os filhos a lidar com a frustração

Às vezes, lidar com a frustração parece até inevitável. Embora essa preocupação seja evidente na vida adulta, é desde cedo que aprendemos a lidar com ela. Quando definimos um limite para a criança, estamos estimulando o desenvolvimento emocional infantil.

Os pequenos crescem, e os limites dos pais passam a não ser os únicos problemas. Frustrações amorosas, isolamento, notas baixas, entre outras situações, passam a exigir dos jovens o equilíbrio emocional de sempre. O apoio dos pais ajuda a amenizar o impacto desses momentos e permite que levar lições para o resto da vida.

 

5 atitudes simples: como ensinar seu filho a lidar com a frustração

Veja como você pode usar estas simples atitudes no dia a dia para ajudar o seu filho a lidar com a frustração.

 

Não dramatize

Tenha uma postura madura diante de uma conversa em que seu filho expõe uma frustração, evitando falar alto ou criar outros problemas. Isso não significa ser apático; ao contrário, sentem-se num lugar confortável e deixe-o relatar o que tem a dizer.

 

Mostre que tudo tem solução

Conduza a conversa para uma solução viável e explique que situações do tipo podem voltar a acontecer, mas que sempre haverá um jeito de resolver. Essa é uma ótima maneira de os filhos entenderem que os problemas podem ser resolvidos de maneira tranquila.

 

Ajude no controle das emoções

Pergunte o que ele está sentindo e ajude-o a nomear tal estado, que pode ser ansiedade, nervosismo, tristeza e assim por diante. O simples fato de saber que um adulto reconhece o que está se passando ajuda os mais novos a se controlarem.

 

Ofereça apoio

Deixe claro que você estará ao lado sempre que eles precisarem, sugira soluções e ajude no que for preciso. O apoio dos pais é o melhor tipo de ajuda que os filhos podem ter ao longo da vida.

 

Ensine com pequenas ações diárias

É importante dar o exemplo no dia a dia, de modo que as suas sugestões ao conversar com os filhos sejam um reflexo do que você usa para resolver os problemas da vida adulta. Mostrar-se paciente e resolutivo demonstra aos jovens que estas são as posturas adequadas para reconhecer os próprios sentimentos e seguir em frente.

 

Prevenir-se do pior: o que não fazer nesse momento

 

Quando a frustração vem da impossibilidade de fazer algo por conta da ordem de um adulto, geralmente a criança é mais nova, portanto, abrace e dê carinho, mas não volte atrás. É importante que ela entenda que seus desejos têm limites.

Quando é a vida que impõe a frustração, não tire das mãos do jovem a responsabilidade de resolver o problema, porque é ele que precisa saber lidar com a frustração e, se for o caso, buscar respostas. O papel dos pais é escutar e oferecer apoio.

Vimos algumas dicas sobre como ensinar seu filho a lidar com a frustração. Se fosse para resumir este artigo, colocaríamos o seguinte: escutar a criança, oferecer todo o apoio necessário e conduzi-la às soluções dos problemas são as chaves.

As fases de crescimento trazem desafios diferentes para a vida dos pequenos. Aprenda mais em nosso e-book sobre como estimular os filhos em cada fase de crescimento. É gratuito, confira!