Sua escola está se preparando para a retomada das aulas presenciais? A educação precisa se adaptar a uma nova realidade e a melhor maneira de fazer isso é adotando o ensino híbrido e implantando novas tecnologias na sala de aula.

A educação está sempre se transformando para acompanhar o desenvolvimento da sociedade. Está mais do que na hora de inovar o modelo tradicional de ensino e entender que o aluno deve ser o protagonista da sua aprendizagem. 

Mas como é possível usar o ensino híbrido nesta nova realidade? Continue a leitura e confira as nossas dicas! 

O que é ensino híbrido

O ensino híbrido já é uma das grandes tendências educacionais dos últimos anos. Ele funciona com a mistura do ensino presencial com o ensino à distância, ou seja, offline e online, utilizando a tecnologia como sua aliada. 

Dessa forma, os dois funcionam em conjunto e devem estar sempre alinhados. Não é somente comprar computadores e enviar atividades remotas. O ensino híbrido pede uma mudança na forma de ensinar e aprender. 

Educadores e alunos podem vivenciar experiências em locais e tempos diferentes. É preciso buscar novas ferramentas, novas formas de organizar a sala de aula, novas metodologias e planos de ação escolar

Por que adotar o ensino híbrido?

A volta às aulas no momento de recuperação da pandemia do coronavírus é bastante delicada. Os alunos estavam se adaptando ao ensino remoto, uma nova forma de vida e de aprendizagem. 

Além disso, muitos estudantes estão se sentindo ansiosos, estressadas e até mesmo vivendo luto. Por isso, o planejamento de retomada deve contemplar as competências socioemocionais e colocar os alunos em primeiro lugar.

Com o ensino híbrido, a aprendizagem continua sendo apoiada pela tecnologia e pode ser inserida de forma leve na nova rotina da escola. Isso garante mais flexibilidade e liberdade para estudar respeitando o seu tempo. 

Os alunos ganham mais autonomia e têm a oportunidade de tomar decisões sobre o seu estudo, colaborando com seus colegas. É possível experimentar diferentes locais, como laboratórios, bibliotecas e até o seu próprio quarto. Assim, eles desenvolvem mais organização e responsabilidade. 

Como começar na sua escola

Antes de colocar a mão na massa, é preciso entender quais são os maiores desafios. Além de pensar em uma mudança de infraestrutura, também é necessário lembrar da formação contínua dos professores. 

É importante avaliar o currículo, as práticas utilizadas em sala de aula, os modos de avaliação, o acompanhamento pedagógico e a gestão em sua totalidade. 

Um dos pontos principais dessa discussão são as formas de avaliar. É preciso pensar em como a personalização do ensino vai afetar sua escola e experimentar modelos de avaliações online e avaliações diagnósticas, utilizada no decorrer da jornada educacional e não somente no fim. 

O papel do professor

Assim como nas metodologias ativas de aprendizagem, no ensino híbrido o professor deve agir como um mediador, um guia para conduzir os alunos. 

É importante que os estudantes sejam protagonistas da sua aprendizagem, explorando diferentes recursos, ferramentas e ambientes para aprender com a sua própria experiência. 

Quanto ao professor, para adotar o ensino híbrido é necessário que eles estejam procurando inovar além do modelo tradicional de ensino e estejam decididos a sair da zona de conforto. Também não podem ter medo de experimentar, saber usar o que tem em mãos e sempre compartilhar e aprender com outros professores. 

Veja como começar a aplicar o ensino híbrido na sua escola: 

Modelo de rotação

O modelo de rotação é bastante utilizado no ensino híbrido. Ele é feito com a criação de diferentes espaços tanto na sala de aula quanto fora em ambiente online para que os alunos possam revezar suas atividades. 

Confira os principais modelos:

Rotação por estações

Os alunos realizam diferentes atividades em várias estações na sala de aula, podendo ser no mesmo ambiente ou em vários. Pelo menos uma delas deve ter ferramentas e tarefas digitais. 

O professor age como um guia passando instruções e as atividades são colaborativas. A rotação por estações também pode ser dividida por temas, em que cada grupo de alunos estuda uma temática na sala ou em espaços variados.

Rotação de laboratório

Essa rotação segue o mesmo objetivo, mas a turma é dividida em grupos na sala de aula e em laboratórios. Cada um realiza atividades no ambiente offline ou online e depois trocam de lugar. 

Rotação Individual

Cada aluno tem a sua própria lista com materiais de estudo e atividades que precisa realizar para abordar o conteúdo. Ele tem a liberdade de transitar entre os diferentes ambientes de aprendizagem para absorver o máximo de conteúdo.

Modelo flex

Neste modelo, é importante explorar vários espaços. Os alunos utilizam um laboratório de aprendizado online e o professor acompanha com instruções diretas, seminário, sessões em grupo, orientação e feedback. 

Sala de aula invertida

Na sala de aula invertida, o conteúdo é estudado primeiro em casa e online pelos próprios estudantes com materiais indicados pelo professor. Depois, são levadas discussões para a sala de aula e realizadas novas atividades.

Desta forma, os estudantes já têm o embasamento necessário para entender a matéria, desenvolvendo mais autonomia e trazendo tópicos mais relevantes para tirar dúvidas e ajudar seus colegas. 

Aprenda na prática

Confira o webinar sobre ensino híbrido com Agenda Edu e Happy Code para ganhar dicas valiosas sobre como aplicar na prática: https://www.youtube.com/watch?v=z9YJ0qiPQlY

Recomendações para o ensino híbrido

Existem algumas recomendações indicadas para garantir a eficácia do ensino híbrido nas escolas brasileiras. Confira as dicas do estudo feito pelo Clayton Christensen Institute:

  • Certificar-se de que os dados produzidos na aprendizagem online baseada no laboratório de informática ou em casa se integrem na volta à sala de aula. 
  • Projetar os modelos de aprendizagem tendo as restrições de infraestrutura em mente. 
  • Fornecer desenvolvimento profissional com foco no ensino, não apenas na tecnologia.
  • Garantir que as métricas certas forneçam informações úteis para os resultados de aprendizagem.
  • Aproveitar áreas ou disciplinas não essenciais para experimentar novas tecnologias ou modelos de ensino híbrido.

O mais importante é alinhar todas as expectativas com a gestão da escola e professores, garantir um bom planejamento e estar disposto a aprender junto com os alunos. 

Comunicação eficiente

Tanto no ensino híbrido quanto remoto ou presencial, a comunicação é um dos pontos chaves para a educação. Com uma agenda escolar, a escola se conecta de forma efetiva, rápida e segura. 

A Agenda Edu é a solução líder de mercado do país e já faz parte da rotina de mais de 2 mil escolas e mais de 1 milhão de alunos. Experimente Agenda Edu na sua escola e revolucione sua gestão escolar.